Skip to main content
Category
Exposições
Nicolas Floc’h – Mar Aberto
Small Description
Curador: João Pinharanda
Image
Nicolas Floc’h
Image
Nicolas Floc’h
Image Credit
© Nicolas Floc’h, Açores, Lobeira, 2023.
Text

O MAAT recebe uma extensa mostra de fotografias, vídeos e peças escultóricas de Nicolas Floc’h (França, 1970). Floc’h, consagrado fotógrafo francês, e um dos mais importantes nomes internacionais da fotografia que toma o mar como tema central, expõe pela primeira vez em Portugal; e, também pela primeira vez, toma Portugal como tema ao desenvolver a sua campanha fotográfica no Estuário do Tejo e nos Açores.

 

O MAAT proporcionou-lhe a residência que deu origem ao grande mural A Cor da Água – Rio Tejo, composto por 408 fotografias das cores da água deste rio – mais propriamente do troço entre Castanheira do Ribatejo e Bugio –, e foi parceiro (com o Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, Açores) da campanha que lhe permitiu registar as fontes termais subaquáticas ao largo da ilha de São Miguel. Os resultados são a deslumbrante escala de cores das águas do rio e as dramáticas imagens dos fundos marinhos desertificados pela acidificação das águas sulfurosas do arquipélago.

 

Outros registos, fotográficos e em vídeo, feitos em zonas tão distintas como a sua Bretanha natal ou a imensa bacia hidrográfica do Mississípi, onde fez a sua mais recente campanha, dão-nos ideia tanto da amplitude do seu inquérito como da diversidade das tão pouco conhecidas realidades subaquáticas do nosso planeta.

 

Floc’h não faz da sua obra um manifesto climático explícito, mas no seu conjunto, bem como nas obras tridimensionais, conduz-nos a uma tomada de consciência ecológica. A beleza misteriosa e inquietante das suas imagens e o seu método de registo obsessivo são, só por si, testemunhos poderosos da atenção consciente que o artista dedica ao delicado equilíbrio dos ecossistemas marinhos e ao modo como nos devemos relacionar com eles tanto objetiva como poeticamente.

 

«Gradualmente, fui percebendo que a «paisagem de cor» contava a história do mundo, a interação do ser vivo com o mundo mineral, a história da Terra, o oceano, a atmosfera, o gelo, e tudo isso em temporalidades múltiplas. Os fluxos e os ciclos hidrológicos, biológicos e geológicos percetíveis nessas fotografias promovem o encontro da pintura abstrata com a representação fotográfica da paisagem.» –  Nicolas Floc’h sobre A Cor da Água – Rio Tejo.

 



Patrocinador:
logos

Apoio:
logo

 

Schedule
Start Date
End Date
Time Duration
Start time
10.00
 — 
End time
19.00
|
Location

MAAT Gallery

localization-icon
Created with Lunacy
Location

MAAT Gallery

localization-icon
Created with Lunacy
Tickets
Indicates required field

wrapper

Escolha o seu idioma
Escolha as newsletters que pretende receber
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Declaro que tomei conhecimento da política de privacidade e concordo que os meus dados pessoais sejam recolhidos pela Fundação EDP e tratados para cada uma das finalidades que assinalei.