CONTRA-ARQUITETURA

04/0620/06/2020
conversas
[mode]
[maat #]
04/0620/06/2020
    Curadoria:
    Lucinda Correia
    Datas:
    4, 11, 18, 25/06/2020
    Online
    Counter-architecture Lucinda Correia
    Fotografia: Lucinda Correia.

    CONTRA-ARQUITETURA
    Re-construir a Realidade

    Embora ainda não tenha sido oficialmente considerada uma época geológica, não há dúvida de que o Antropoceno domina o discurso tanto da Academia como do público em geral, estejamos ou não de acordo: a aparente supremacia da Humanidade sobre a Natureza é resultado das ações científicas e tecnológicas do Homem. Em 2019, cientistas de todo o mundo declararam o estado de "emergência climática" devido ao impacto da atividade humana no ambiente, parte significativa do qual se deve, presumivelmente, à indústria da construção. E isso não é tudo: o nosso modo de vida é, definitivamente, insustentável. Os recursos do planeta que continuamos a consumir não poderão mais ser substituídos por meios naturais. Portanto, assistiremos certamente a uma mudança de paradigma.

    Se a cultura está intimamente ligada às formas de habitar o território, a arquitetura como sistema desempenhará um papel cada vez mais decisivo no processo de transformação que se aproxima. É, pois, necessário promover uma ideia filosófica, científica e económica de contra-arquitetura que permita reconceptualizar a nossa relação com a Natureza. A maneira como repensaremos a construção e a urbanidade, por exemplo, vai certamente estabelecer novos desafios, além de, num sentido mais amplo, redefinir a responsabilidade da arquitetura no impacto da intervenção humana sobre o meio ambiente.

    Contra-arquitectura é um projeto de pesquisa colaborativo que se desenvolverá entre junho e novembro de 2020 — quatro ações performativas, conferências e conversas de que resultará um livro verde, no ano em que Lisboa é a Capital Verde Europeia, para se ponderar o futuro daquilo a que chamamos “urbanidade”.

    Ações performativas, conferências e conversas
    A partir de quatro oposições de conceitos fundamentais — realidade/fantasia, controlo/transgressão, exibição/ocultação e lógica/absurdo — discutir-se-ão as metodologias de abordagem do impacto ambiental, no seu sentido mais amplo, e das práticas arquitetónicas e urbanísticas, visando gerar cruzamentos disciplinares produtivos e, certamente, confrontar os diferentes métodos de argumentação. Os convidados são membros da administração pública, arquitetos, engenheiros, geógrafos, promotores, cientistas, sociólogos, juristas, construtores e outros atores urbanos.
    02/06, 03/06, 04/06, 05/06/2020 (a confirmar)

    Livro Verde
    Relatório síntese, dirigido à Administração Pública e Instituições Culturais, que reivindica propostas urbanas inovadoras (ou disruptivas face às abordagens convencionais) sobre a crise ambiental e a produção de espaço em todas as suas dimensões constitutivas, como um objeto crítico que reflete uma síntese integradora das ações performativas, das conferências, das conversas e das conclusões científicas.
    Lançamento do Livro Verde: 03/11/2020

    Organização: efabula (Lucinda Correia, Rosa Matias Baptista, Andreia Páscoa, Sara Reis, Marta Rema, Susana Sequeira)